• Verti Consultoria

A Toxicidade do Petróleo Bruto

Atualizado: Jan 2


O petróleo bruto é uma mistura altamente tóxica de carcinógenos, neurotoxinas, irritantes do trato respiratório, hepatotoxinas, nefrotoxinas e mutagênicos. Seus efeitos tóxicos podem ser tanto agudos quanto crônicos, ou seja, podem resultar em uma série de sintomas imediatos e também afetar a saúde a longo prazo. O petróleo bruto também é capaz de causar problemas endócrinos, reprodutivos e câncer.



O petróleo cru é uma mistura complexa de produtos químicos, alguns voláteis (evaporam) e outros solúveis em água. Um dos componentes do petróleo bruto é o sulfeto de hidrogênio, uma neurotoxina muito potente. Embora o sulfeto de hidrogênio seja um gás, ele é solúvel em água. Centenas de produtos químicos compõem o petróleo bruto, incluindo alguns hidrocarbonetos de cadeia reta, hidrocarbonetos ramificados, compostos aromáticos e naftênicos, bem como hidrocarbonetos aromáticos polinucleares.


Um dos componentes mais tóxicos do petróleo bruto é o benzeno, que é solúvel em água (1700 mg/l) e é um conhecido carcinógeno humano. O benzeno pode causar vários problemas hematológicos, incluindo leucemia, anemia aplástica e linfoma não-Hodgkin. Um dos potenciais problemas com o benzeno é o fato de ele ser mais solúvel em óleo cru do que em água. Dessa forma, o benzeno pode ser liberado do petróleo bruto flutuante para o ar e também na costa, quando aquecido pelo sol. Esse é apenas um dos riscos para a saúde das pessoas que vivem perto de um litoral que foi contaminado. Da mesma forma, uma série de hidrocarbonetos adicionais de baixo peso molecular, compostos aromáticos e compostos de enxofre podem agir de forma semelhante e também afetar a saúde dos organismos de diversas formas.


No petróleo cru estão vários hidrocarbonetos aromáticos polinucleares (PNAs), muitos dos quais são classificados como carcinógenos humanos. Esses materiais geralmente possuem uma volatilidade muito limitada, mas podem penetrar na pele humana e animal, expondo àqueles em contato com o óleo cru.


Os PNAs também podem aderir à partículas de poeira no ar, o que facilita sua inalação. Outra característica dos PNAs é que eles tendem a se concentrar no tecido adiposo, sendo liberados lentamente no corpo ao longo do tempo. Os animais e outros seres aquáticos expostos ao petróleo bruto acumulam estes PNAs em seu tecido adipose. Esses animais podem mais tarde ser consumidos por seres humanos.



Alguns dos sintomas imediatos resultantes da exposição ao óleo cru em pessoas saudáveis incluem dificuldade respiratória, náuseas, dores de cabeça, e tonturas. Já pessoas com problemas de saúde, como alergias e asma, são ainda mais afetadas. Os efeitos que podem surgir mais tarde nos sistemas respiratório, imunológico, nervoso e reprodutivo e podem até resultar em defeitos congênitos e cânceres. Desregulação endócrina, danos ao DNA, danos ao feto em desenvolvimento, distúrbios sanguíneos e mutações podem ocorrer em resultado do contato com óleo cru. O contato com o petróleo bruto pode ocorrer através do ar, resultando da volatilização de alguns de seus componentes, por penetração dérmica e oralmente pela ingestão de alimentos contaminados.


Apesar da toxicidade do petróleo cru para pessoas envolvidas na limpeza de áreas atingidas, a retirada deste material (o mais rápido possível!) é importantíssimo para a saúde humana e para a restauração do meio ambiente local. Quanto maior a permanência do petróleo nos locais contaminados, maiores os danos ambientais e maior o contato humano com as toxinas deste material. A contaminação de mananciais de água potável também pode ocorrer se o petróleo não for retirado com urgência.



Caso você se envolva na limpeza de uma área contaminada com petróleo não se esqueça de:

*Usar máscara protetora (ou pano cobrindo nariz e boca), luvas de PVC e botas, pois o óleo libera substancias tóxicas prejudiciais à saúde.

*Armazene o óleo em tambores, baldes ou outros recipientes rígidos, pois sacos plásticos não são eficientes.

*O IBAMA é o órgão que irá decidir o destino do material.


Caso você encontre um animal afetado por petróleo siga as seguintes instruções:

*Não devolva-o ao mar;

*Use luvas ao tocar no óleo, pois este é tóxico;

*Desobstrua suas vias respiratórias;

*Mantenha-o na sombra e hidratado;

*Não force a alimentação;

*Evite locais barulhentos e aglomeração de pessoas ao redor do animal para reduzir o seu stress;

*Procure especialistas que saibam como proceder com o resgate.


Leia mais:

- Hazardous Substance Data Bank, National Library of Medicine. http://www.toxnet.nlm.nih.gov (2019).

- Agency for Toxic Substances & Disease Registy ATSDR, Centers for Disease Control, U.S. http://www.toxnet.nlm.nih.gov (2019).


#verticonsultoria #toxicologia #saude #neurotoxinas #neurotoxinasambientais #metaispesados #neurotoxicologia #peixescontaminados #peixesmarinhos #poluicaoambiental #mareslimpos #petroleo #petróleo #petroleocontaminacao #derramamentodeoleo #derramamentopetroleo

Fale conosco!

Email: consultoria.verti@gmail.com

Tel: +55 (51) 9 9662 1344 (WhatsApp)

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone LinkedIn

© 2020 por Verti Consultoria

Toxicologia - Saúde - Meio Ambiente