• Verti Consultoria

7 Dica Para Evitar Ingerir Plástico

Atualizado: Set 10

Você Pode Estar Consumindo Microplástico Sem Saber


Desde a década 50, a humanidade já produziu mais de 8 bilhões de toneladas de plástico, e menos de 10 % foi reciclado. Ao longo do tempo, grande parte do plástico foi degradado na natureza formando partículas cada vez menores, acabando por contaminar alimentos e água potável.


O plástico é quase impossível de ser evitado por completo. Ele reveste latas de alimentos, compõe embalagens, se esconde no pó da casa, e está presente de uma forma ou de outra em tantos ítens de consumo. Mas o que muitas pessoas não sabem é que não estamos apenas usando o plástico, estamos também literalmente comendo suas partículas. Quando você come ou bebe algo, existe uma grande probabilidade de você estar consumindo também minúsculas partículas de plástico.


As implicações disso para a saúde humana ainda estão sob investigação, mas sabe-se que

as substâncias presentes em plásticos são associadas à uma variedade de problemas de saúde, incluindo distúrbios reprodutivos, obesidade, e atrasos no desenvolvimento infantil. Partículas plásticas podem liberar bisfenol A (BPA) e ftalatos, e absorver poluentes ambientais como os PCBs. Portanto, alguns tipos de plástico servem como uma esponja, que absorve poluentes ambientais, que serão liberados quando o plástico for ingerido. O BPA, of ftalatos e os PCBs são substâncias ligadas ao surgimento de vários tipos de câncer, distúrbios endócrinos e ao enfraquecimento do sistema imunológico.


Um estudo recente, encomendado pelo Worldwide Fund for Nature (WWF, anteriormente conhecido como World Wildlife Fund) e conduzido por pesquisadores da Universidade de Newcastle na Austrália estimou que cada pessoa consome em média cerca de 5 gramas de plástico por semana, o equivalente a um cartão de crédito. Mas certamente a quantidade média de microplástico consumido por cada pessoa depende dos hábitos de cada um! Indivíduos que possuem muitos objetos de plástico em suas cozinhas, por exemplo, tendem a consumir muito mais partículas deste material do que os que preferem utensílios feitos de outros materiais.

Matéria publicada na Revista dos Vegetarianos 02/2020

Todos nós estamos em contato com microplástico diariamente, e para reduzir o risco de consumir estas partículas indigestas bastam alguns cuidados. Veja abaixo 7 dicas que irão fazer toda a diferença:


1) Filtre sua água

Talvez a maior fonte conhecida de microplásticos em produtos de consumo seja a água engarrafada. Estudos mostram microplásticos presentes em água da torneira também, mas já foram encontradas 20 vezes mais partículas plásticas em água engarrafada em comparação com água de torneira da mesma região. Por isso, é recomendado que você consuma água de torneira filtrada. A filtragem da água em filtros com blocos de carbono ou fibra de côco são eficientes na retirada de microplástico.


2) Evite Utensílios Plásticos na Sua Cozinha

Recipientes, colheres, tigelas, tábua de corte feita de plástico, inevitavelmente irão contaminar seus alimentos com substâncias do plástico ou com suas partículas. Portanto elimine ou reduza ao máximo o uso deste material na sua cozinha. A sua esponja de lavar louça e seus panos de cozinha sintéticos também são uma fonte de microplástico, poluindo sua cozinha e posteriormente o meio ambiente. Portanto, prefira panos feitos de fibras naturais e experimente usar bucha vegetal no lugar da esponja plástica. Algumas pessoas até preferem a bucha vegetal para algumas tarefas domésticas.


3) Minimize o Pó Doméstico

Parece coisa pouca, mas o pó doméstico carrega microplásticos provenientes de objetos presentes na sua casa como sacolas plásticas, têxteis, brinquedos, tapetes, objetos de decoração e mobília; mas também abriga partículas plásticas vindas através da poluição do ar. Sim, até mesmo o ar carrega microplástico! Por isso, manter o pó sob controle é uma boa medida.


4) Reduza o Consumo de Produtos de Origem Animal

Se você consome produtos de origem animal, eis uma razão para mudar seus hábitos: estudos independentes encontraram microplásticos em frutos do mar, especialmente em animais filtradores (como mexilhões e ostras); em peixe enlatado; em animais terrestres, como o frango; e em mel (660 partículas plásticas por Kg). O microplástico é ingerido por animais que confundem com alimentos, ou através de ração contaminada. O plástico já entrou na cadeia alimentar, portanto eliminando o consumo de produtos de origem animal irá ajudar a reduzir o seu consumo de partículas plásticas.

5) Evite Alimentos Embalados em Plástico ou Muito Processados

Alimentos embalados em plástico, além de contribuir para a geração de mais microplástico no meio ambiente, contém partículas provenientes do processo de embalagem. Se existe plástico na embalagem do alimento processado, existem grandes chances deste alimento estar contaminado por partículas de plástico,

pois muitos alimentos acabam sendo contaminados por plástico durante o seu processamento. Isso ocorra através do pó presente nas fábricas, pedaços de luvas e outros ítens plásticos usados pelos funcionários, através de resíduos plásticos das próprias embalagens, e outras fontes.


6) Prefira Consumir Frutas e Vegetais Frescos Vendidos à Granel

Estes são os alimentos menos contaminados por microplásicos: frutas e vegetais frescos sem embalagens plásticas.


7) Recuse Plásticos de Uso Único

O plástico está nos nossos alimentos e bebidas porque acabam na natureza, onde são quebrados em partículas e retornam à nós através de água ou alimentos contaminados. Então, o único meio de reduzir a quantidade de partículas plásticas é acabar com este ciclo na fonte: recusando objetos de plástico, especialmente de de uso único como copos, talheres, pratos e sacolas de compras! Plásticos de uso único são as principais fontes de micropartículas plásticas no ambiente, uma vez que são feitos com plásticos frágeis, são baratos e portanto produzido e consumidos em massa, e acabam na natureza logo após serem usados uma única vez!


Como você pode ver não é uma tarefa difícil reduzir a quantidade de microplástico que poderá ser consumido por você ou sua família. A chave é saber onde estão e como evitá-los. Ao seguir as dicas dadas nesta reportagem você irá reduzir muito os riscos de consumir plástico. Sua saúde agradece!


O que você achou da reportagem?! Para saber mais sobre toxicologia do cotidiano e como reduzir o contato com toxinas prejudiciais à saúde siga-nos nas redes sociais e visite o nosso website!


Precisa de ajuda? Oferecemos consultoria online sobre estilo de vida livre de toxinas. Entre em contato para obter mais informações.


#verticonsultoria #toxicologia #saude #meioambiente #plástico #plastico #problemasendócrinos #doençaendócrina #microplástico #microplastico #microplasticos #particulasdeplástico

24 visualizações

Fale conosco!

Email: consultoria.verti@gmail.com

Tel: +55 (51) 996621344 (WhatsApp)

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone LinkedIn

© 2020 por Verti Consultoria

Toxicologia - Saúde - Meio Ambiente