• Verti Consultoria

Substitua Folhas de Alumínio por Opções Mais Saudáveis

Você ainda cozinha em folhas de alumínio?!

Saiba porque mudar esse hábito.



As folhas de alumínio entraram nas nossas cozinhas como uma forma de assar diversos alimentos, forrar fôrmas e reter o vapor ao cozinhar. Com o passar do tempo cada vez mais usos foram dados às folhas de alumínio, o que levou os especialistas em saúde humana e toxicologia à investigar o impacto disso na saúde humana.


Os pesquisadores descobriram que cozinhar em folha de alumínio não é tão seguro quanto se pensava. Alguns estudos mostram que as folhas de alumínio, que são utilizadas muitas vezes em contato direto com os alimentos, liberam alumínio na comida, o que pode ser prejudicial à saúde ao longo do tempo. Alimentos ácidos, como suco de limão, peixes e tomate, assim como alguns temperos e especiarias reagem com o alumínio, aumentando a contaminação dos alimentos com este metal.


Um estudo de 2012, publicado no International Journal of Electrochemical Science, investigou a quantidade de alumínio que é liberada em alimentos cozidos com papel alumínio. A quantidade variou com base em fatores como temperatura, acidez, e temperos utilizados no cozimento, mas os resultados mostraram conclusivamente que o papel alumínio solta alumínio nos alimentos cozidos nele. Quando isto acontece, a concentração de alumínio nos alimentos pode ultrapassar o limite recomendado (não mais que 40 mg por quilograma de peso corporal por dia) para adultos.


Segundo a Organização Mundial de Saúde, o corpo humano é capaz de expelir pequenas quantidades de alumínio de forma eficiente, por isso é considerado seguro ingerir 40 mg de alumínio por dia. Mas infelizmente, a maioria das pessoas está ingerindo muito mais do que isso, com consequências notáveis para a saúde.


O excesso de alumínio no organismo tem o potencial de danificar o sistema nervoso, os rins e os ossos. Estudos também descobriram que a alta ingestão de alumínio pode estar ligada à uma redução na taxa de crescimento de células humanas, e pode ser potencialmente prejudicial à pacientes com doenças ósseas ou comprometimento renal. Os pesquisadores encontraram também altas concentrações de alumínio no tecido cerebral de pacientes com doença de Alzheimer.


Como o alumínio pode prejudicar cada pessoa depende de muitos fatores, como a frequência do uso das folhas de alumínio e a qualidade delas, o quão eficiente é o organismo em questão em excretar alumínio, idade e saúde geral da pessoa, entre outros. Então o melhor mesmo é reduzir ou cortar por completo o uso das folhas de alumínio na sua cozinha, mas isso não significa que você deva abrir mão de certos pratos, pois existem alternativas! Vejamos algumas delas:

  1. Para grelhar legumes, utilize uma cesta de aço inoxidável, ou espetos reutilizáveis.

  2. Use uma fôrma de vidro ao assar vegetais no forno.

  3. Use folhas de papel para assar biscoitos ou uma esteira de silicone para cozimento para forrar fôrmas.

  4. Folhas de bananeira são uma ótima alternativa para embalar alimentos que serão assados.

  5. Utilize folhas de tecido encerado reutilizáveis para embrulhar ou cobrir os alimentos.

  6. Se você precisar cobrir algo no forno você pode usar uma assadeira, tampa de metal, tampa de silicone ou um tapete de silicone no lugar das folhas de alumínio.

Pesquisas mostram que a folha de alumínio é pior que o plástico em termos de energia fóssil consumida, emissões de gases de efeito estufa, impactos na saúde humana, e toxicidade em seres aquáticos. Estas são mais algumas razões para você deixar de lado as folhas de alumínio, sem abrir mão de pratos saborosos e elaborados. Essa pequena mudança de hábito pode contribuir para o aumento do seu bem estar, é melhor para o meio ambiente e pode previnir doenças em decorrência do excesso de alumínio no organismo. Você apenas ganha com isso e a natureza também!


Infertilidade Masculina

Um estudo publicado em 2014 no periódico Reproductive Toxicology, mostra que o alumínio pode reduzir a fertilidade masculina. Depois de analisar amostras de esperma de mais de 60 participantes, os pesquisadores confirmaram que seu sêmen continha alumínio. Quanto mais alumínio a amostra continha, menor era a quantidade de espermatozóides. Isto poderia explicar porque a infertilidade masculina aumenta ano a ano.


Declínio na População de Abelhas

Pesticidas, parasitas e falta de flores são os principais fatores contribuindo para o declínio na população de abelhas em todo o mundo. Mas o alumínio também tem um papel importante na sobrevivência das abelhas. O alumínio é uma neurotoxina, capaz de afetar o comportamento animal (e humano) quando em quantidades altas. Evidências científicas mostram que o cérebro das abelhas está contaminado com este metal, em quantidades que variam de 13 a 200 partes por milhão (ppm), uma quantidade enorme para um ser tão pequeno; sendo que 3 ppm é uma quantidade considerada perigosa para humanos. Esta descoberta pode explicar porque algumas abelhas apresentam um tipo de demência chamada de disfunção cognitiva induzida pelo alumínio. Uma das fontes de alumínio para as abelhas são os pesticidas que contém alumínio. Ao passo que a folha de alumínio leva cerca de 400 anos para se decompor na natureza e, embora reciclável, utilizamos toneladas deste material anualmente e a maior parte acaba nos oceanos ou aterros sanitários, contaminando o meio ambiente e seus seres vivos.


Quer saber mais sobre como reduzir o alumínio na sua dieta?! Veja a nossa reportagem sobre panelas saudáveis aqui.



#verticonsultoria #toxicologia #saude #saudepreventiva #neurotoxina #alumínio #aluminio #folhasdealumínio #metaispesados #infertilidade


Fale conosco!

Email: consultoria.verti@gmail.com

Tel: +55 (51) 9 9662 1344 (WhatsApp)

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone LinkedIn

© 2020 por Verti Consultoria

Toxicologia - Saúde - Meio Ambiente